25 de jun de 2013

#PapoSério - Bullying

Nossa meta aqui é ser feliz e não perfeito.
Você acha engraçado quando chamam aquela sua colega que tira notas altas de:nerd, defeito da natureza ou então quando falam a ela que "ela tira notas altas para querer se mostrar"? Ou então quando xingam aquele menino acima do peso de balofo, bola de basquete ou empurram ele de um lado para o outro, e você continua achando graça, porque os meninos da sua sala dizem que todos são amigos e que essas brincadeiras são comuns. Bem, elas não são. Algumas das "brincadeiras" que ocorrem principalmente entre adolescentes podem deixar marcas tão fortes no psicológico das pessoas que sofrem com elas, que podem leva-las a mais para frente a praticar algo contra o próprio corpo ou contra outras pessoas. Isso porque, com o tempo as brincadeiras vão ficando piores, os apelidos se tornam mais pesados e os empurrões cada vez mais fortes. Então a pessoa que sofre com todos esses atos começa a pensar da seguinte maneira: se todos falam essas coisas de mim, sem exceção alguma, então quer dizer que é verdade não é mesmo? E ela acredita nisso, porque todos dizem isso a ela e ninguém nunca, de forma alguma tenta dizer o contrario. Ninguem nunca diz que aquela menina que tira notas altas é realmente inteligente e tem um futuro promissor pela frente, ou então chegam a pensar que aquele menino acima do peso têm um problema que faz ele ter esses quilos a mais, porem se ele continuar se esforçando, ele pode sim chegar ao peso certo para sua idade.O problema é que ninguém nunca pensa nas consequências que serão causadas com os apelidos, as brincadeiras e as agressões. Ninguem nunca chega nem a pensar que essas brincadeiras de muito mal gosto têm um nome e que pode se tornar em breve crime, pela Legislação Penal brasileira, o nome desse ato nada saudável praticado na maioria, entre adolescentes é "bullying".

Bullying é um termo da língua inglesa (bully = “valentão”) que se refere a todas as formas de atitudes agressivas, verbais ou físicas, intencionais e repetitivas, que ocorrem sem motivação evidente e são exercidas por um ou mais indivíduos, causando dor e angústia, com o objetivo de intimidar ou agredir outra pessoa sem ter a possibilidade ou capacidade de se defender, sendo realizadas dentro de uma relação desigual de forças ou poder.
O bullying se divide em duas categorias: 
a) bullying direto, que é a forma mais comum entre os agressores masculinos; 
b) bullying indireto, sendo essa a forma mais comum entre mulheres e crianças, tendo como característica o isolamento social da vítima. 
Em geral, a vítima teme o agressor em razão das ameaças ou mesmo a concretização da violência, física ou sexual, ou a perda dos meios de subsistência.

O autor das agressões geralmente são pessoas que têm pouca empatia, pertencentes à famílias desestruturadas, em que o relacionamento afetivo entre seus membros tende a ser escasso ou precário. Por outro lado, o alvo dos agressores geralmente são pessoas pouco sociáveis, com baixa capacidade de reação ou de fazer cessar os atos prejudiciais contra si e possuem forte sentimento de insegurança, o que os impede de solicitar ajuda.

Os atos de bullying ferem princípios constitucionais – respeito à dignidade da pessoa humana – e ferem o Código Civil, que determina que todo ato ilícito que cause dano a outrem gera o dever de indenizar. O responsável pelo ato de bullying pode também ser enquadrado no Código de Defesa do Consumidor, tendo em vista que as escolas prestam serviço aos consumidores e são responsáveis por atos de bullying que ocorram dentro do estabelecimento de ensino/trabalho.  (Fonte: Brasil Escola)

Quando não descoberto e discutido em curto prazo, os atos de bullying podem levar a vitima a ter sérios problemas psicológicos, levando-a praticar outros atos que afetem seu corpo e emocional. Muitas das vezes as vitimas que na maioria das vezes já tinha problemas com relacionamentos afetivos, pode levar as brincadeiras sofridas com o bullying durante o resto da vida, sendo assim incapacitada, em muitas das vezes, em criar laços afetivos fortes. Quando o bullying ataca o estado físico da vitima a mesma pode sofrer durante o resto da vida com problemas da auto estima.

"As vezes eu tento relembrar o meu passado, só para esquecer o que acabou de acontecer. As vezes eu tento mentir sobre quem eu sou, só para não sofrer mais Bullying. E apesar de tudo, no fim sempre haverá uma causa, e eu me pergunto... Porque eu ainda tento, se tudo o que faço não é bem requisitado!"
O bullying pode gerar em sua vitima danos irreparáveis, ela pode sofrer com isso o resto da vida, ser insegura e ter medo de tudo e todos ao seu redor. Enquanto ao agressor: ele não vai sofrer com nada, tempos mais a frente ele nem vai se lembrar das brincadeiras que fazia com o colega, mas a vitima vai. Nunca apoie brincadeiras de mau gosto, mesmo que você não goste da pessoa que esta sofrendo com essas brincadeiras, tenha em mente que se você sabe de algum crime e não entrega quem o pratica/praticou, isto te faz cúmplice ou seja tão culpado como quem pratica o ato em si.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1- Não escreva somente "seguindo,segue de volta?", expresse sua opinião sobre a postagem e o blog.
2- Deixe o link do seu blog para que possamos retribuir a visita.
3- Não,não aceitamos mais selinhos e tags.
4- Agradecemos pela visita, não se esqueça de curtir a FanPage do Blog e volte sempre.

Contato: stopnow.paradaobrigatoria@gmail.com
Twitter: @ParadaStopNow, @yepIsabella e @Priibs_
FanPage: facebook.com/ParadaObrigatoriaBlog